Snapchat: Como deletar sua conta sem perder seus dados

Snapchat: Como deletar sua conta sem perder seus dados


Levando em consideração a importância dos arquivos para os usuários, a Kaspersky mostra quatro maneiras de salvar fotos e vídeos para aqueles que pretendem excluir o app.

Recentemente, os desenvolvedores do Snapchat foram acusados de violar a privacidade de seus usuários. De acordo com o que foi divulgado, os funcionários do aplicativo usavam o SnapLion, uma ferramenta para acessar dados pessoais e espionar snaps. 

A grande questão é que, diante dessa situação ou até mesmo por outros motivos, alguns Snapchaters optaram por deletar o aplicativo, mas provavelmente se perguntaram como poderiam fazer isso sem perderem suas fotos e vídeos compartilhados com seus amigos, além de outras informações relacionadas à sua atividade na rede social. Levando em consideração a importância dos arquivos para os usuários, a Kaspersky mostra o passo a passo de como salvar fotos e vídeos para aqueles que pretendem excluir o app. 

1. Configurar o backup dos seus Snaps e Stories: A configuração do Snapchat não permite que o app salve fotos ou vídeos. Qualquer snap enviado aos seus amigos desaparecerá assim que eles o virem, já um Story publicado, desaparece em 24 horas. Mas existe uma maneira de salvar as publicações disponíveis. Para fazer isso, o usuário deve configurar a parte de Memórias, uma função que permite salvar os snaps no dispositivo ou na nuvem, seguindo estas etapas:

•    Abra o seu perfil e pressione o ícone de configuração no canto direito superior da tela;
•    Clique em Funções (Android) ou Minha Conta e selecione Memórias;
•    Clique em Onde Salvar;
•    Para a opção Salvar, configure a pasta onde seus snaps serão salvos. Para salvar cópias de seus vídeos e fotos no dispositivo, selecione Memórias e Dispositivo ou Somente no Dispositivo se não quiser que seus dados sejam salvos na nuvem;
•    Para posts na minha história, selecione Memórias. Essa configuração fará com que o usuário não precise salvar as publicações manualmente;
•    Quanto às conversas pessoais, o usuário deve clicar em Salvar sempre que um snap for enviado.

2. Baixe as fotos e vídeos das Memórias: Se o usuário quiser sair do Snapchat, mas seus snaps estiverem salvos em Memórias, é preciso baixar as fotos direto no dispositivo:

No caso do iOS, é possível baixar tudo de uma vez.

•    Vá em Memórias;
•    Pressione a caixa no canto superior direito;
•    Selecione os snaps que deseja baixar;
•    Pressione o ícone de seta na parte inferior da tela;
•    Selecione Salvar.

Já para os usuários de Android, é preciso baixar os snaps um por um.

•    Entre em Memórias;
•    Clique na foto para baixá-la;
•    Selecione Exportar snap;
•    Clique em Rolo da Câmera.

3. Entre em contato com o serviço de suporte: Os usuários também podem entrar em contato com o serviço de suporte do Snapchat se quiserem solicitar todas as informações disponíveis na sua conta, como o histórico das músicas identificadas com o Shazam, os avatares Bitmoji, as fotos e vídeos salvos nas Memórias (se houver), entre outros. A equipe de suporte enviará o que for solicitado.

4. Obtenha um arquivo com os dados coletados pela rede social: Se o usuário deseja revisar o histórico de atividades no Snapchat, uma lista de conversas, logins e outros, é possível solicitar essas informações a partir da rede social. Tudo isso virá em um único arquivo ZIP, que pode ser mantido como uma memória. Mas, o usuário deve ter primeiro uma conta de e-mail associada. Com isso, é possível obter:

•    Histórico de suas autorizações, compras, locais, pesquisas e muito mais;
•    Um arquivo com suas conversas;
•    Seus dados de perfil, amigos e informações de assinatura;
•    Seus avatares Bitmoji.

Resolvido o problema de backup, o usuário pode continuar com a exclusão da conta. Como a maioria das redes sociais, o Snapchat primeiro sugere que seja desativado o perfil, para caso o usuário mude de ideia. Mas o que os usuários não sabem, é que não se pode excluir a conta pelo aplicativo; isso deve ser feito no site“, explica Dmitry Bestuzhev, diretor da Equipe Global de Pesquisa e Análise da Kaspersky na América Latina.

Neste caso, o usuário deve:

•    Acessar https://accounts.snapchat.com e inserir os dados de login (nome de usuário e senha);
•    Clicar em Excluir Minha Conta;
•    Digitar o nome de usuário e senha novamente;
•    Clicar em Continuar.

Desta forma, o aplicativo será removido do dispositivo móvel. E caso também queira deletar outras redes, a Kaspersky ensina como excluir o perfil do TwitterFacebook ou  Instagram.

Fonte: Assessoria de imprensa

Vulnerabilidade do WhatsApp – atualize agora seu aplicativo

Vulnerabilidade do WhatsApp – atualize agora seu aplicativo

Hoje, 14/05, foi disponibilizada uma atualização para iOS e Android.

O mensageiro mais popular da atualidade divulgou uma falha de segurança que faz com que dados das vítimas sejam acessados, ou seja, senhas, fotos, e-mails, entre outras informações. O spyware pode ser instalado no aparelho apenas por uma chamada telefônica.

Portanto, para ter a sua segurança aumentada, siga o procedimento abaixo e atualize seu smartphone ainda hoje:

No Android:

1) Abra o app Google Play Store;

2) Acesse o menu na parte superior esquerda da tela;

3) Entre em “Meus aplicativos e jogos”;

4) Se o WhatsApp tiver sido atualizado recentemente, o app vai aparecer em uma lista de aplicativos com um botão “Abrir”;

5) Já se o WhatsApp não estiver atualizado, o botão vai dizer “Atualizar”. Aperte para instalar a nova versão;

6) A última versão do WhatsApp para Android é 2.19.134.

No iOS:

1) Abra a App Store;

2) Na parte inferior da tela, aperte “Atualizações”;

3) Se o WhatsApp tiver sido atualizado recentemente, o app vai aparecer em uma lista de aplicativos com um botão “Abrir”;

4) Já se o WhatsApp não estiver atualizado, o botão vai dizer “Atualizar”. Aperte para instalar a nova versão;

5) A última versão do WhatsApp para iOS é 2.19.51.

(Procedimento retirado de bbb.com)

Fique atento às nossas dicas de seguranças. Mantenha sempre atualizado o antivírus do seu dispositivo.

Novo golpe promete alterar a cor do WhatsApp

Novo golpe promete alterar a cor do WhatsApp

 

Se os usuários instalarem a extensão para alterar as cores, eles enviarão automaticamente uma mensagem com o convite para toda a lista de bate-papos ativos

A ESET, empresa líder em detecção proativa de ameaças, recebeu vários relatos sobre uma mensagem que chega através do WhatsApp, convidando o  usuário a aplicar novas cores no aplicativo com apenas um clique. A empresa de segurança analisa o que está por trás desse golpe que busca preencher os telefones de publicidade.

pVItLepMkVzAwvlA== - Novo golpe promete alterar a cor do WhatsApp

Mensagem do WhatsApp com o convite para alterar as cores.

Como é comum nesse tipo de campanha, o link reage de maneira diferente se você clicar em um celular ou no aplicativo WhatsApp Web.

No caso de acesso em um computador através do WhatsApp Web, o usuário é convidado a instalar uma extensão do Google Chrome, chamada Black Theme for Whatsapp, que permitirá mudar o aplicativo para uma cor mais escura.

RKi361ZvNt8Q== - Novo golpe promete alterar a cor do WhatsApp

Site que é redirecionado se você entrar pelo WhatsApp Web, convidando para instalar uma extensão do Google Chrome

Essa extensão pode ser encontrada dentro da Chrome Web Store e já apresenta um alto número de downloads, para se ter uma ideia da magnitude da campanha.

https://www.welivesecurity.com/wp-content/uploads/2019/03/whatsapp_color_3.png

Extensão no Google Chrome, chamada “Black Theme for Whatsapp”

Caso um usuário desavisado instale a extensão e abra a sessão do WhatsApp Web, ela enviará automaticamente uma mensagem para toda a lista de bate-papos ativos, convidando-os a alterar as cores do aplicativo. No complemento, há mensagens em diversos idiomas para enviar, além de diferentes elementos que compõem a mensagem, incluindo a imagem. Além disso, existem URLs diferentes que podem estar associadas à mensagem que está sendo construída de maneira aleatória à medida que as mensagens são enviadas.

Mesmo que o usuário identifique o que está acontecendo e feche a janela do navegador, a ação não será interrompida, pois é o próprio telefone que envia as mensagens. Essa funcionalidade específica demonstra as estratégias usadas pelos invasores para propagar com rapidez e eficiência esse tipo de campanha e, assim, alcançar até mesmo todos os contatos da vítima.

Por outro lado, se o link for acessado de forma convencional,  a partir do celular, uma mensagem aparece pedindo ao usuário para compartilhar o aplicativo com 30 amigos ou 10 grupos antes de alcançar a possibilidade de mudar de cor.

https://www.welivesecurity.com/wp-content/uploads/2019/03/cambio-color-whatsapp-engaño-3-576x1024.png

Se você acessar pelo telefone, a seguinte mensagem aparecerá solicitando que um convite seja enviado aos seus contatos para continuar a ação

Da mesma forma, mesmo que não seja compartilhado entre os contatos e você queira prosseguir a ação, o aplicativo solicita o download de um APK chamado best_video.apk e ativa as notificações de um servidor localizado na Rússia. Se a vítima deixar todos os itens acima acontecerem, o celular será infectado por uma família de cavalos de Tróia que propagará adware entre os usuários do Android.

O aplicativo é instalado no dispositivo, mas não deixa qualquer evidência de sua instalação, já que o ícone é oculto e só é ativado quando o usuário inicia a navegação, exibindo banners publicitários de diferentes serviços de propaganda legítimos; mas para a vítima não é evidente que seus recursos estão sendo utilizados para este tipo de ações.

“Quando se trata desse tipo de ameaça que utiliza estratégias de engenharia social e busca seduzir o usuário ao com uma promessa atraente, sempre devemos nos lembrar de nunca acessar links que nos alcancem por qualquer meio digital, mesmo que seja enviado por um contato conhecido.”, disse Camilo Gutierrez, chefe do Laboratório de Pesquisa da ESET América Latina.

Nestes casos, o que se deve fazer  primeiro  é verificar a autenticidade do link, por exemplo, o contato de quem enviou a mensagem. Neste caso da mudança de cor do WhatsApp – se foi algo que ele conscientemente compartilhou ou se foi porque ele foi a vítima do engano e enviou sem querer a sua propagação. Além disso, é essencial ter uma solução de segurança instalada no telefone que os alarmes soem na presença de links ou downloads de conteúdo potencialmente maliciosos.

Para mais informações, visite o portal de notícias da ESET, chamado WeLiveSecurity, em: https://www.welivesecurity.com/br/

Fonte: Assessoria de imprensa

 

WhatsApp muda para usuários de iPhone e deixa o app mais seguro

WhatsApp muda para usuários de iPhone e deixa o app mais seguro

 

Mudança, que era muito esperada, deixa o aplicativo mais seguro

 

Nessa semana o WhatsApp sofreu uma atualização que deixou contentes muitos usuários. Além de ter sido algo relacionado a segurança ( o que sempre é muito bom), também aumenta a privacidade dos milhões de usuários do mensageiro.

 

Whatsapp

 

Agora, para usuários de iPhone – sistema iOS – é possível configurar o touch iD (para aparelhos de modelos superiores ao iPhone 5S) que nada mais é do que o identificador de impressão digital.

Veja abaixo como habilitar a nova função:

1.Whatsapp

2.Whatsapp

3. Whatsapp

4.Whatsapp

5.Whatsapp

Uma vez sendo feito esse procedimento, o app passa a solicitar “senha” no próximo acesso. Se não for apresentada a impressão digital, virá a tela abaixo:

Whatsapp

 

E o que você achou dessa atualização? Deixe o seu comentário.

 

 

ESET alerta sobre links falsos que prometem brindes da Tilibra circulando pelo WhatsApp

ESET alerta sobre links falsos que prometem brindes da Tilibra circulando pelo WhatsApp

A ESET, empresa líder na detecção proativa de ameaças, alerta sobre o surgimento de um golpe que engana os usuários por meio de engenharia social, método que induz o usuário a clicar em um link que pode ser malicioso. Os criminosos utilizaram o nome da empresa Tilibra, se passando por uma promoção que daria agendas personalizadas da Capricho a quem clicasse no link, distribuído pelo WhatsApp.

Neste caso, o golpe se passava por uma promoção verdadeira que está sendo realizada pela loja virtual da Capricho, no contexto de volta às aulas. Como outras campanhas descobertas pelo Laboratório de Pesquisa da ESET na América Latina, as vítimas acessaram o golpe por uma mensagem encaminhada via WhatsApp.

 

alerta

 

Na maioria dos casos, o remetente será um contato conhecido, que está inconscientemente espalhando o golpe após também ter sido vítima. Ao clicar no link, o usuário é redirecionado para um site, que se passa pelo verdadeiro.

Ao acessar esse endereço, a vítima encontra uma pesquisa e, uma vez concluída, aparece uma mensagem que a incentiva a compartilhar o golpe com cinco pessoas para ganhar a agenda,  gerando a viralização.

“Qualquer usuário pode cair nesse tipo de armadilha se a isca certa for usada. Por esse motivo, é essencial estar sempre atento às notícias sobre o tema e ter informações sobre como evitar esse tipo de golpe. Somente assim o usuário terá dúvidas em relação à veracidade de tais fraudes. Neste sentido, seja em computadores ou dispositivos móveis, as soluções de segurança terão um papel fundamental, uma vez que, por meio de seus módulos de detecção, gerarão alertas de segurança nos casos em que o usuário não tenha reparado na direção do link para o qual seria direcionado”, explica Camilo Gutierrez, chefe do Laboratório da ESET América Latina.

O número de golpes que se espalham por meio do WhatsApp continua crescendo. A ESET já alertou sobre inúmeras campanhas que afetam diferentes marcas conhecidas: de companhias aéreas a restaurantes de fast food, seus nomes foram utilizados em fraudes em grande escala, com vítimas em diferentes países e iscas em diversos idiomas.

Para mais informações relacionadas, visite o We Live Security, o portal de notícias de segurança da informação da ESET: https://www.welivesecurity.com/br/

Fonte: Assessoria de imprensa