Comparação entre Apple Watch 4 e 5 series

Comparação entre Apple Watch 4 e 5 series

Você já dever ter percebido que a Apple vem trazendo novos modelos do seu relógio a cada ano.

Applewatch4 - Comparação entre Apple Watch 4 e 5 series

As novidades na camada de software e hardware são intensas e evidentes. Conseguir pagar algo sem a necessidades de abrir a carteira para pegar o cartão e ainda ser feito com agilidade, quem não quer? E a beleza dos temas que podem ser baixados, já viu que legal?

No segundo semestre de 2019, como em todos os anos, foi lançado um novo modelo. Dessa vez foi a versão 5.

Comparação entre o Apple Watch 3 e 4:

Clique aqui para ver

Applewatch3 - Comparação entre Apple Watch 4 e 5 series

Comparação entre Apple Watch 1, 2 e 3:

Clique aqui para ver

Como já fizemos aqui anteriormente, vamos comparar agora o que esse último modelo tem que o anterior – série 4 – não tem:

ItemApple Watch Series 5Apple Watch Series 4
Alumínio  Prateado
Cinza-espacial
Dourado
Prateado
Cinza-espacial
Dourado
Aço inoxidávelPrateado
Preto- espacial (DLC)
Dourado (PVD)
Prateado
Preto- espacial (DLC)
Dourado (PVD)
Titânio  Titânio
Preto- espacial
Cerâmica Branco
GPSSimSim
GLONASSSimSim
Galileo SimSim
QZSSSimSim
Altímetro barométricoSimSim
BússolaSimNão
Resistente à água50 metros50 metros
Sensor cardíaco elétricoSimSim
Sensor cardíaco ópticoSimSim
SOS de emergÊnciaSimNão
GiroscópioSimSim
Sensor de luz ambienteSimSim
Alto-falanteSimNão
MicrofoneSimSim
Tela de 44mm368 x 448 pixels
Área de visualização de 977 mm²
Tela mais de 30% maior que a do Series 3
368 x 448 pixels
Área de visualização de 977 mm²
Tela de 40mm324 x 394 pixels
Área de visualização de 759 mm²
Tela mais de 30% maior que a do Series 3
324 x 394 pixels
Área de visualização de 759 mm²
Tela Retina Sempre Ativa OLED LTPO com Force Touch1000 nits de brilho1000 nits de brilho
ChipS5 com processador de dois núcleos de 64 bits
W3
S4 com processador de dois núcleos de 64 bits
W3
ConectividadeLTE e UMTS3
Wi-Fi
Bluetooth 5.0
LTE e UMTS2
Wi-Fi
Bluetooth 5.0
Energia e bateriaBateria interna recarregável de íon de lítio
Carregador magnético
Carregador USB
Bateria interna recarregável de íon de lítio
Carregador magnético
Carregador USB
Dimensões – 40 mm40 mm
Altura: 40 mm
Largura: 34 mm
Espessura: 10,74 mm
Aço inoxidável – 40 mm
Altura: 40 mm
Largura: 34 mm
Espessura: 10,7 mm
Peso da caixa: 39,8 g

Alumínio – 40 mm
Altura: 40 mm
Largura: 34 mm
Espessura: 10,7 mm
Peso da caixa: 30,1 g
Dimensões – 44 mm44 mm
Altura: 44 mm
Largura: 38 mm
Espessura: 10,74 mm
Aço inoxidável – 44 mm
Altura: 44 mm
Largura: 38 mm
Espessura: 10,7 mm
Peso da caixa: 47,9 g

Alumínio – 44 mm
Altura: 44 mm
Largura: 38 mm
Espessura: 10,7 mm
Peso da caixa: 36,7 g

O Apple Watch Series 5 e o Apple Watch Series 3 têm classificação de 50 metros de resistência à água segundo a norma ISO 22810:2010. Isso significa que podem ser usados para atividades aquáticas em pouca profundidade, como nadar em uma piscina ou no mar. No entanto, não devem ser usados para mergulho, esqui aquático ou outras atividades que envolvam velocidade na água ou submersão mais profunda.

Applewatch2 1024x464 - Comparação entre Apple Watch 4 e 5 series

O serviço de rede celular requer um plano de dados sem fio. A operadora do Apple Watch e do iPhone deve ser a mesma. O serviço não está disponível com todas as operadoras. Nem todas as operadoras oferecem planos empresariais ou pré-pagos. Consulte sua empresa e sua operadora. Alguns planos antigos podem não ser compatíveis. Roaming não disponível. Entre em contato com sua operadora para obter mais informações. Consulte as operadoras compatíveis e os requisitos clicando aqui.

Os testes de bateria para o dia todo do Apple Watch foram conduzidos pela Apple em agosto de 2019 usando unidades de pré-produção do Apple Watch Series 5 (GPS) e do Apple Watch Series 5 (GPS + Cellular), cada uma delas emparelhada com um iPhone. Todos os aparelhos foram testados com software em versão preliminar. A duração da bateria varia de acordo com o uso, a cobertura da rede celular, a configuração e muitos outros fatores. Os resultados reais podem variar. Consulte o site da Apple – Baterias para obter mais informações.

O Apple Watch Series 5 e o Apple Watch Series 3 requerem iPhone 6s ou posterior com iOS 13 ou posterior.

Os recursos estão sujeitos a mudanças. Alguns recursos, apps e serviços podem não estar disponíveis em todas as regiões ou idiomas.

No site da Apple, o da versão 5 tem um custo aproximado de R$ 4.000,00.

7 Dicas para Puxar Assunto em Apps de Relacionamento

7 Dicas para Puxar Assunto em Apps de Relacionamento

Dicas Infalíveis para Puxar Assunto com o Crush em App de Relacionamento

Este artigo foi criado pela equipe BMatch para uso exclusivo do blog Tecnologia Facil SA

A conversa é uma parte muito importante na hora da conquista. O momento é perfeito para descontrair e conhecer um pouco mais sobre a vida do crush. Mas, nem todo mundo sabe como puxar assunto nos aplicativos de relacionamento.

Seja por timidez, falta de criatividade ou insegurança, muitas pessoas não conseguem dar o primeiro passo nesse quesito e o silêncio constrangedor pode colocar tudo a perder.

Pensando nisso, separamos 7 dicas indispensáveis para você puxar assunto em um app de relacionamento. Confira!

SmartSelect 20191106 203352 Docs 1024x682 - 7 Dicas para Puxar Assunto em Apps de Relacionamento

1. Comente sobre as Fotos do Crush

Uma boa sacada para iniciar a conversa com o date é comentar sobre algumas fotos da pessoa. Com essa atitude você demonstra seu interesse e abre espaço para o bate-papo.

Preste atenção aos detalhes da foto e faça perguntas sobre o momento registrado, provavelmente o crush terá uma boa história para contar.

2. Descubra o Gosto Musical do Crush

O primeiro passo é descobrir qual o estilo musical preferido da pessoa, e então vocês conseguem conversar mais abertamente sobre o tema. Caso o gênero musical de vocês seja diferente, é interessante pensar em algumas bandas específicas para recomendar.

Se quiser dar um passo à frente na relação, o momento é ótimo para sugerir um encontro, assim vocês conseguem curtir algum show juntos, por exemplo.

Outro ponto interessante é compartilhar uma playlist com o crush. Vocês podem, inclusive, criar uma playlist compartilhada e ir descobrindo, aos poucos, o gosto musical um do outro.

3. Aposte em Perguntas Inusitadas

SmartSelect 20191106 203408 Docs 1024x687 - 7 Dicas para Puxar Assunto em Apps de Relacionamento

Essa é a maneira perfeita para começar um assunto e, de quebra, descolar boas risadas. Pense em algumas perguntas divertidas e que fujam do óbvio, transformando o bate-papo em uma conversa engraçada e descontraída.

O bom humor é uma característica muito importante para quem está a procura de um date. E o app de relacionamento BMatch conta com uma ferramenta exclusiva para facilitar a conversa entre os usuários: o Quebra-Gelo.

A função é um diferencial da marca e traz diversas opções para você iniciar um bate-papo com o crush. São dicas para puxar assunto, perguntas inusitadas, jogos, desafios e muito mais.

4. Demonstre Interesse pela Rotina do Crush

Saber que tem alguém sinceramente interessado no nosso dia a dia nos traz uma sensação de felicidade e pertencimento.

Tente iniciar a conversa com algumas perguntas básicas e, com o passar do tempo, os temas devem se aprofundar. Além de descobrir mais informações sobre a vida do crush, você pode dar dicas sobre um assunto específico.

Por exemplo, se o date pretende almoçar em alguma região da cidade que você já conhece, aproveite para sugerir um restaurante específico. Essa é uma ótima maneira de vocês trocarem informações e se conhecerem melhor.

5. Emojis e Gifs

SmartSelect 20191106 203423 Docs 1024x714 - 7 Dicas para Puxar Assunto em Apps de Relacionamento

Já dizia o filósofo chinês Confúcio: uma imagem vale mais do que mil palavras. Imagina, então, o poder de um gif?

Os emojis e gifs conquistaram um importante espaço no nosso dia a dia. Eles são capazes de traduzir sentimentos, momentos e histórias. O recurso tem sido considerado uma nova forma de comunicação universal, já que as pessoas conseguem se expressar e conversar através desses ícones.

Então, escolha alguns gifs e emojis de sua preferência e puxe assunto com o crush. Você demonstra seu interesse e se mantém atualizado nos memes que estão bombando na internet.

6. Interesses em Comum

Com algumas informações básicas é possível descobrir quais interesses vocês têm em comum. Músicas, filmes, comida, animais de estimação e outras centenas de itens podem se tornar tema das suas próximas conversas.

Portanto, tente conhecer ao máximo as preferências do date e comece puxando assunto com os tópicos que você se sente mais à vontade.

O app de relacionamento BMatch possui um modo perfeito para facilitar o encontro do crush ideal: o Blind Match. A opção funciona de maneira inteligente, fazendo o cruzamento de dados das suas informações com os perfis dos usuários disponíveis.

A pessoa interessada responde a um questionário e o sistema do aplicativo realiza uma busca pelos candidatos mais compatíveis. Assim, fica mais fácil puxar assunto com o date, já que existem vários interesses em comum.

7. Sinceridade Sempre

Quando o assunto é aplicativo de relacionamento, a sinceridade não pode ser deixada de lado. Mesmo que seja difícil puxar assunto com o crush, nunca invente situações e histórias que fujam da realidade.

Além disso, é muito importante que o usuário mantenha sempre suas informações e fotos atualizadas.

Puxar assunto com o date não precisa ser uma prova de fogo. Com sinceridade, calma e criatividade é possível começar uma conversa capaz de transformar toda a sua vida.

Gostou das dicas que separamos para você puxar assunto com o crush? Deixe um comentário!

Siga o BMatch nas redes sociais: 

Imagens: Pexels (rawpixel.com), Unsplash (freestocks.org), Pexels (pixabay)

Envio de selfies para cadastro? Cuidado!

Envio de selfies para cadastro? Cuidado!

Na semana em que é comemorado o Dia da Fotografia, a Kaspersky alerta que cibercriminosos estão usando phishing para obter selfies das vítimas segurança um documento de identidade para abrir contas bancárias

Com o mundo cada vez mais conectado, alguns serviços online de pagamento e até mesmo bancos solicitam que os clientes confirmem sua identidade enviando uma selfie segurando um documento de identidade (RG ou CNH) no momento da abertura de uma conta bancária ou na emissão de um cartão de crédito. Essa é uma maneira prática utilizada por prestadores de serviços para autenticar a identidade dos clientes e evitar deslocamentos demorados e filas de espera.

323073e3 9138 4125 a201 0d23a5d86364 - Envio de selfies para cadastro? Cuidado!

Porém, não são apenas sites legítimos e de boa reputação que estão atrás dessas selfies. Os cibercriminosos também estão se aproveitando desta conveniência para efetuar fraudes por meio de enviar e-mails de phishing se passando por um banco, empresa de pagamentos ou rede social. Essas mensagens fraudulentas pedem que o usuário confirme sua identidade por meio de um link e usam a desculpa de um novo processo de “segurança”. Ao clicar,a vítima é levada a uma página com um formulário que solicita informações pessoais, como endereço, número de telefone, etc., bem como o upload de uma selfie com um documento de identidade oficial visível – e até mesmo foto de cartão de crédito ou passaporte.

Não é de se espantar que os cibercriminosos têm utilizado as mais diferentes maneiras para enganar os usuários“, alerta Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky. Neste caso, com os dados das vítimas em mãos, eles podem criar contas bancárias visando a troca de criptomoedas, por exemplo – que servirá para lavar dinheiro de suas atividades. Além disso, é importante frisar que uma selfie com um documento de identidade tem um valor muito alto no mercado negro em comparação com uma imagem digitalizada do mesmo documento” .

A Kaspersky separou sete dicas para que os usuários possam analisar detalhadamente os e-mails que recebem e não serem vítimas desse tipo de fraude: 

1. Erros gramaticais e ortográficos
É muito provável que o texto do e-mail enviado bem como as informações disponibilizadas no link tenha erros gramaticais, palavras omitidas e erros de ortografia. Por isso, sempre pergunte: sites oficiais e e-mails de grandes organizações têm erros gramaticais e ortográficos?

2. Endereço do remetente é suspeito
Esses e-mails geralmente vêm de endereços registrados em provedores gratuitos ou pertencem a empresas que não têm relação nenhuma com a mencionada no corpo da mensagem. Verifique de onde vem a mensagem e para onde o link leva. 

3. Nome do domínio não corresponde
Embora o endereço do remetente pareça legítimo, é provável que o host do formulário de phishing esteja hospedado em um domínio mal-intencionado ou não relacionado. Às vezes, o endereço pode ser muito parecido (mas ainda assim existem diferenças); em outros, a diferença é notória. Um exemplo é uma suposta mensagem do LinkedIn que, por algum motivo, convida os usuários a fazer upload de uma foto no Dropbox.

4. Prazo de entrega é muito curto
Muitas vezes, os autores desses e-mails tentam por todos os meios apressar o destinatário e, por exemplo, eles afirmam que o link expirará após 24 horas. Os cibercriminosos frequentemente recorrem a essa técnica já que a falsa sensação de urgência faz com que muitos usuários ajam sem pensar. É melhor quebrar o prazo do que enviar seus dados para os cibercriminosos.

5. Solicitação de informações já enviadas
Sempre verifique se já tiver fornecido pelo menos algumas das informações solicitadas – por exemplo, endereço de e-mail ou número de telefone. No caso dos bancos, sua identidade foi confirmada quando você abriu a conta. Então, por que você teria que verificá-la novamente sob o pretexto de uma “segurança adicional”?. Neste caso, é importante procurar informações no site oficial da empresa.

6. Solicitações ao invés de ofertas
Muitas soluções oferecem opções avançadas – incluindo de segurança – em troca de informações pessoais; mas na sua conta pessoal na web, não por e-mail. E, normalmente, é uma oferta que pode ser recusada. Porém, na forma em que o link de e-mail fraudulento é enviado, há apenas um botão como se sugerisse que não há outra opção além de enviar uma selfie. Em caso de dúvida, ligue para o atendimento ao cliente. Mas não use o número fornecido na mensagem: encontre-o no site oficial da empresa.

7. Não há informações sobre isso no site oficial
Na verdade, você pode já ter confirmado sua identidade em redes sociais, bancos e outras empresas há algum tempo. No entanto, essa é a exceção e não a regra. Os detalhes do que está acontecendo, caso precise confirmar novamente, devem estar disponíveis no site oficial do serviço e deve ser fácil encontrá-los no Google.

Além disso, para evitar que cibercriminosos roubem a identidade pessoal de usuários, é importante tomar cuidado com todas as solicitações de dados, especialmente quando há documentos envolvidos. É importante utilizar uma solução de segurança confiável com proteção contra phishing e fraudes online, como o Kaspersky Total Security.

Fonte: Assessoria de imprensa

Google oferece 5 dicas para reuniões mais efetivas utilizando a nuvem

Google oferece 5 dicas para reuniões mais efetivas utilizando a nuvem

Estima-se que o custo de reuniões improdutivas seja de cerca de US$ 37 bilhões por ano nos Estados Unidos, conforme estudo da Universidade da Carolina do Norte, com 195 funcionários em todo o sudeste dos EUA e mais de 300 reuniões relatadas.

No Brasil, não é diferente: a frase de que uma reunião “poderia ter sido um e-mail” é recorrente no mercado corporativo.

“Em um cenário no qual os funcionários gastam uma hora e meia por semana apenas com gerenciamento de agenda, separamos algumas dicas de como fazer reuniões mais efetivas utilizando os produtos de nuvem do Google”, publicou a empresa.

1. Torne as reuniões mais convenientes

O primeiro passo para melhorar as reuniões está na experiência de agendamento de um local apropriado e com os dispositivos necessários. O Google Agenda permite a sugestão automática de salas de conferência próximas de cada participante e, ainda, lista os equipamentos disponíveis em cada sala. Para isso, é necessário que o  administrador de TI registre todas as salas de reunião e seus respectivos equipamentos com antecedência.

Outra recomendação é sempre manter uma opção de videoconferência pelo Hangouts Meet, caso algum participante tenha imprevistos e não possa comparecer pessoalmente.

2. Agende só o tempo necessário

Com o tempo cada vez mais disputado, é importante se atentar para o intervalo escolhido para os seus compromissos na agenda. Por isso, seja realista e, caso tenha alguma reunião que possa ser concluída em menos de 15 minutos, considere enviar um bate-papo via Hangouts Chat ou, até mesmo, por e-mail.

Nas configurações do Google Agenda é possível, ainda, reduzir a duração predefinida das suas reuniões em 5 ou 10 minutos com a opção “Reuniões rápidas”. 

3. Respeite as horas de trabalho

Como forma de evitar reagendamentos, procure não marcar nada para as primeiras horas do expediente e busque por períodos que não comprometam os horários de almoço e de saída dos participantes.

Uma das formas de manter os colegas de trabalho a par dos seus compromissos é adicionar alertas automáticos de sua indisponibilidade fora do seu expediente. Além disso, caso você tenha participantes de outros países ou viaje muito a trabalho, o Google Agenda permite que você escolha um fuso horário secundário para que seus eventos sejam mostrados nos dois.

4. Defina os tópicos a serem mencionados

Para manter o foco da conversa e fazer com que todos tenham previamente uma pauta do que será discutido, recomendamos criar uma agenda no Google Docs no qual todos possam colaborar simultaneamente.

O acesso para o arquivo pode ser adicionado ao evento da reunião em vez de ser encaminhado via e-mail, o que facilita a busca pelo conteúdo. Você pode também atribuir itens de ação a partir de menção ao membro da equipe responsável. 

Todos os documentos que têm itens de ação não resolvidos podem ser vistos em um só lugar. No Google Drive, clique no menu suspenso na barra de pesquisa, role para baixo até “Follow up” e selecione “Action items only” (itens de ação apenas).

5. Compartilhe conteúdo visual

Mesmo via videoconferências, é possível compartilhar a tela do seu computador pelo Hangouts Meet para demonstrar conteúdos tais como agendas, apresentações, dados, vídeos; e, assim, facilitar o entendimento do que está sendo falado. No entanto, compartilhe apenas a guia do navegador para que as pessoas não se distraiam com bate-papos ou outros trabalhos.

Fonte: Google Discovery

Snapchat: Como deletar sua conta sem perder seus dados

Snapchat: Como deletar sua conta sem perder seus dados


Levando em consideração a importância dos arquivos para os usuários, a Kaspersky mostra quatro maneiras de salvar fotos e vídeos para aqueles que pretendem excluir o app.

Recentemente, os desenvolvedores do Snapchat foram acusados de violar a privacidade de seus usuários. De acordo com o que foi divulgado, os funcionários do aplicativo usavam o SnapLion, uma ferramenta para acessar dados pessoais e espionar snaps. 

A grande questão é que, diante dessa situação ou até mesmo por outros motivos, alguns Snapchaters optaram por deletar o aplicativo, mas provavelmente se perguntaram como poderiam fazer isso sem perderem suas fotos e vídeos compartilhados com seus amigos, além de outras informações relacionadas à sua atividade na rede social. Levando em consideração a importância dos arquivos para os usuários, a Kaspersky mostra o passo a passo de como salvar fotos e vídeos para aqueles que pretendem excluir o app. 

1. Configurar o backup dos seus Snaps e Stories: A configuração do Snapchat não permite que o app salve fotos ou vídeos. Qualquer snap enviado aos seus amigos desaparecerá assim que eles o virem, já um Story publicado, desaparece em 24 horas. Mas existe uma maneira de salvar as publicações disponíveis. Para fazer isso, o usuário deve configurar a parte de Memórias, uma função que permite salvar os snaps no dispositivo ou na nuvem, seguindo estas etapas:

•    Abra o seu perfil e pressione o ícone de configuração no canto direito superior da tela;
•    Clique em Funções (Android) ou Minha Conta e selecione Memórias;
•    Clique em Onde Salvar;
•    Para a opção Salvar, configure a pasta onde seus snaps serão salvos. Para salvar cópias de seus vídeos e fotos no dispositivo, selecione Memórias e Dispositivo ou Somente no Dispositivo se não quiser que seus dados sejam salvos na nuvem;
•    Para posts na minha história, selecione Memórias. Essa configuração fará com que o usuário não precise salvar as publicações manualmente;
•    Quanto às conversas pessoais, o usuário deve clicar em Salvar sempre que um snap for enviado.

2. Baixe as fotos e vídeos das Memórias: Se o usuário quiser sair do Snapchat, mas seus snaps estiverem salvos em Memórias, é preciso baixar as fotos direto no dispositivo:

No caso do iOS, é possível baixar tudo de uma vez.

•    Vá em Memórias;
•    Pressione a caixa no canto superior direito;
•    Selecione os snaps que deseja baixar;
•    Pressione o ícone de seta na parte inferior da tela;
•    Selecione Salvar.

Já para os usuários de Android, é preciso baixar os snaps um por um.

•    Entre em Memórias;
•    Clique na foto para baixá-la;
•    Selecione Exportar snap;
•    Clique em Rolo da Câmera.

3. Entre em contato com o serviço de suporte: Os usuários também podem entrar em contato com o serviço de suporte do Snapchat se quiserem solicitar todas as informações disponíveis na sua conta, como o histórico das músicas identificadas com o Shazam, os avatares Bitmoji, as fotos e vídeos salvos nas Memórias (se houver), entre outros. A equipe de suporte enviará o que for solicitado.

4. Obtenha um arquivo com os dados coletados pela rede social: Se o usuário deseja revisar o histórico de atividades no Snapchat, uma lista de conversas, logins e outros, é possível solicitar essas informações a partir da rede social. Tudo isso virá em um único arquivo ZIP, que pode ser mantido como uma memória. Mas, o usuário deve ter primeiro uma conta de e-mail associada. Com isso, é possível obter:

•    Histórico de suas autorizações, compras, locais, pesquisas e muito mais;
•    Um arquivo com suas conversas;
•    Seus dados de perfil, amigos e informações de assinatura;
•    Seus avatares Bitmoji.

Resolvido o problema de backup, o usuário pode continuar com a exclusão da conta. Como a maioria das redes sociais, o Snapchat primeiro sugere que seja desativado o perfil, para caso o usuário mude de ideia. Mas o que os usuários não sabem, é que não se pode excluir a conta pelo aplicativo; isso deve ser feito no site“, explica Dmitry Bestuzhev, diretor da Equipe Global de Pesquisa e Análise da Kaspersky na América Latina.

Neste caso, o usuário deve:

•    Acessar https://accounts.snapchat.com e inserir os dados de login (nome de usuário e senha);
•    Clicar em Excluir Minha Conta;
•    Digitar o nome de usuário e senha novamente;
•    Clicar em Continuar.

Desta forma, o aplicativo será removido do dispositivo móvel. E caso também queira deletar outras redes, a Kaspersky ensina como excluir o perfil do TwitterFacebook ou  Instagram.

Fonte: Assessoria de imprensa

FaceApp: a importância da segurança no reconhecimento facial

FaceApp: a importância da segurança no reconhecimento facial


Recentemente, as redes sociais foram tomadas por diferentes fotos dos usuários empolgados em verem como ficarão mais velhos. O motivo? O FaceApp. O aplicativo tem versão para smartphone Android e iPhone, sendo que o filtro de idoso pode ser usado gratuitamente. Mas até que ponto a empolgação com o app pode prejudicar a privacidade dos usuários? E o quão seguros são os app que utilizam reconhecimento facial? Pensando nisso, a Kaspersky analisou o app e, quanto ao app em si, não identificou nada malicioso. “A foto é enviada para os servidores do app que fazem a modificação e enviam de volta para o usuário“, analisa Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky. “Tudo muito normal“. 

graffiti wall 1209761 960 720 - FaceApp: a importância da segurança no reconhecimento facial


Já quanto à privacidade, para o especialista essa é a única e a mais importante envolvendo apps desse tipo. “Cerca de 64% dos brasileiros não leem as condições de um app antes de baixá-lo e esquecem de pensar sobre como seus dados podem ser utilizados, ignorando as configurações de privacidade“. Cada vez mais, a tecnologia tem se reinventado e o reconhecimento facial está em amplo crescimento e ganhado força não só no setor privado como também no público. “No caso do FaceApp, por utilizar Inteligência Artificial para fazer as modificações a partir do reconhecimento facial, a empresa dona do app pode vender essas fotos para empresas desse tipo, além desses dados facilmente caírem nas mãos dos cibercriminosos e serem utilizados para falsificar nossas identidades“, afirma.

O reconhecimento facial, assim como a biometria, tem sido constantemente utilizados como formas de autenticação, porém é preciso ter cautela ao optar por compartilhá-los sem pensar. “Temos que entender essas novas maneiras de autenticação como senhas, já que qualquer sistema de reconhecimento facial disponível a todos pode acabar sendo usado tanto para o bem quanto para o mal”, finaliza. 

Ao baixar apps, a Kaspersky recomenda que os usuários:
• Tenham certeza que o aplicativo é de confiança e está nas lojas oficiais;
• Leiam os termos de privacidade dos apps, com o objetivo de entender quais informações são solicitadas;
• Entendam o reconhecimento facial como uma senha – não saia utilizando em todos os lugares;
• Sempre verifiquem quais permissões são solicitadas, como login associado à uma conta existente em determinada rede social.

Já quanto à privacidade, para o especialista essa é a única e a mais importante envolvendo apps desse tipo. “Cerca de 64% dos brasileiros não leem as condições de um app antes de baixá-lo e esquecem de pensar sobre como seus dados podem ser utilizados, ignorando as configurações de privacidade“. Cada vez mais, a tecnologia tem se reinventado e o reconhecimento facial está em amplo crescimento e ganhado força não só no setor privado como também no público. “No caso do FaceApp, por utilizar Inteligência Artificial para fazer as modificações a partir do reconhecimento facial, a empresa dona do app pode vender essas fotos para empresas desse tipo, além desses dados facilmente caírem nas mãos dos cibercriminosos e serem utilizados para falsificar nossas identidades“, afirma.

O reconhecimento facial, assim como a biometria, tem sido constantemente utilizados como formas de autenticação, porém é preciso ter cautela ao optar por compartilhá-los sem pensar. “Temos que entender essas novas maneiras de autenticação como senhas, já que qualquer sistema de reconhecimento facial disponível a todos pode acabar sendo usado tanto para o bem quanto para o mal”, finaliza. 

Ao baixar apps, a Kaspersky recomenda que os usuários:

• Tenham certeza que o aplicativo é de confiança e está nas lojas oficiais;
• Leiam os termos de privacidade dos apps, com o objetivo de entender quais informações são solicitadas;
• Entendam o reconhecimento facial como uma senha – não saia utilizando em todos os lugares;
• Sempre verifiquem quais permissões são solicitadas, como login associado à uma conta existente em determinada rede social.

Fonte: Assessoria de imprensa